quarta-feira, 20 de abril de 2016

PDT volta a apoiar o governo que chamou de corrupto

O que queria o PDT? Ou melhor: o que queria seu presidente e dono?

Carlos Lupi, ex-ministro do Trabalho de Dilma (Foto: Divulgação)
Faz o quê? Um mês, dois?

Enfim, faz pouco tempo que o PDT anunciou que assumia uma posição de independência em relação ao governo Dilma Rousseff. Um governo, por sinal, acusado de corrupção pelo presidente do PDT, Carlos Lupi, ex-ministro do Trabalho de Dilma.

O que queria o PDT? Ou melhor: o que queria seu presidente e dono?

Derrubar o ministro do Trabalho Manoel Dias, fundador do PDT, e secretário de Leonel Brizola por mais de 30 anos.

Manoel deve o emprego à indicação de Lupi. Mas caiu em desgraça junto a ele por não atender a todos os seus pedidos. Um deles: largar o ministério para dar lugar a outro afilhado de Lupi.

Pois bem: Lupi venceu.

Dilma pediu a ele que o PDT voltasse a apoiá-la. Em troca, ofereceu o Ministério das Comunicações a André Figueiredo, líder do PDT na Câmara dos Deputados, queridinho de Lupi.

Agradavelmente constrangido, Lupi topou.

A independência do PDT diante do governo durou pouco. Quanto ao governo ser corrupto como Luppi havia dito...

Esqueça.

Publicidade

Publicidade

Arquivo