Nem mesmo a promessa do governo de fazer um ajuste fiscal que permita a retomada do crescimento econômico conseguiu reverter o pessimismo no país. Pesquisa realizada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostra que o Índice de Confiança do Empresário Industrial chegou ao nível mais baixo da série histórica, iniciada em janeiro de 1999. Em março, o indicador cravou 37,5 pontos, com queda de 2,7 pontos em relação a fevereiro. A queda chegou a 15 pontos no acumulado de 12 meses, o maior tombo desde janeiro de 2009.

Os empresários também estão inseguros quanto ao futuro. O índice de expectativas em relação ao comportamento das empresas e da economia nos próximos seis meses caiu 2,7 pontos em março, ficando em 41,4 pontos, o pior resultado da série. “O aumento da inflação e dos juros compromete o consumo das famílias, e isso se reflete na indústria”, avaliou Marcelo Azevedo, economista da CNI. 

Ele ressaltou ainda que o setor sofre com aumento de custos de água, energia elétrica, com a baixa competitividade e com o receio sobre a capacidade de vendas.