Espetáculo com os sertanejos Leonardo e Eduardo Costa gerou polêmica. Valor é superior ao cachê de Zeca Pagodinho, que se apresentará no Rio

Leonardo e Eduardo Costa apresentam o espetáculo Cabaré (Foto: Fred Pontes/Divulgação)
O governo de Goiás vai gastar R$ 850 mil para contratar o show “Cabaré”, dos sertanejos Leonardo e Eduardo Costa, para a festa de fim de ano em Goiânia. O valor causou polêmica, pois é mais alto que a atração principal da festa na praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, que terá apresentação do sambista Zeca Pagodinho, contratado por R$ 800 mil.

O show é de responsabilidade da Goiás Turismo. O dinheiro usado na contratação da atração será do tesouro estadual. Sobre o valor, o governo considerou que ele é mais alto que um show por se tratar de um espetáculo, com uma produção maior e várias apresentações dentro de uma só.

Em nota, o governo explicou ao G1 que a contratação foi feita após “cotação de diversas outras opções de shows, que se apresentaram com custos mais elevados”. Ainda no comunicado, a administração estadual ressalta que o Cabaré é considerado o maior espetáculo em cartaz no Brasil.

Nas redes sociais, muitos questionaram se o dinheiro gasto com esse evento não poderia ser utilizado para manter as estruturas dos festivais Canto da Primavera e da Mostra Nacional de Teatro de Porangatu (Tenpo). O primeiro evento chegou a ser cancelado, mas será realizado em uma edição especial, apenas com artistas goianos, de quarta-feira (9) a domingo (13). Já o segundo teve a edição deste ano cancelada.

Diante dessa polêmica, o governo explicou que incentiva todos os gêneros de manifestação cultural e preserva a tradição das festas populares, como Natal e réveillon. Além disso, nessa época ainda há a geração de emprego e renda para o estado. “Segundo dados da Goiás Turismo, o governo do estado arrecada R$ 2 para cada R$ 1 investido na programação do réveillon”, diz o comunicado.