Uma Ação Civil Pública contra o secretário provisório municipal de Luziânia, Dr. José Walter e a Professora Edna, a interina, foi ajuizada pela 18ª Procuradoria Regional do Trabalho, do Ministério Público do Trabalho (MPT)


O motivo é que tanto José Walter, quanto Edna, vêm negligenciando o fornecimento de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs). O fato ficou evidenciado na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Jardim do Ingá, onde profissionais da saúde e da limpeza foram expostos ao vírus por falta desses equipamentos de proteção.

O Ministério Público do Trabalho recomendou a imediata regularização da situação, mas não obteve respostas efetivas do secretário provisório, Dr. José Walter. Caso os dois não regularizem, no prazo máximo de 48 horas, o abastecimento e a oferta de EPIs nas unidades de saúde do município, está fixada uma multa de R$ 10 mil, que deverá ser paga por cada um deles.

O descaso com o funcionalismo público não é de agora. Desde o primeiro dia que assumiu, os servidores vêm sendo desrespeitados sistematicamente. Outra questão que o MPT deve atuar em breve é o calote que Edna tem promovido, ao não pagar os direitos dos servidores exonerados por ela.