Por onde anda, Alex é recebido aos coros de “O prefeitão voltou”

O candidato a prefeito pelo MDB de Cidade Ocidental Alex Batista vem colocando a cidade para andar. Em cima de uma carroça, vem arrastando multidões em seus atos de campanha. Antes de a campanha começar, sua esposa Fernanda Batista (PSB) era a pré-candidata, mas o MDB decidiu lançar o ex-prefeito (gestão 2009-2012).

As pesquisas já o apontam como franco favorito. Na última registrada pelo instituto EPP, Alex vem na liderança, com 30,8% das intenções de voto. Na segunda posição está Fábio Correa (PP), com 22,3%. 

O candidato emedebista diariamente está batendo de porta em porta e conversando diretamente com os eleitores.

Segundo Rodrigo Gaspar, analista político especialista na região do Entorno Sul, três coisas vem sendo perceptíveis. Primeiro, a liderança de Alex perante os moradores da cidade é inercial. Segundo, o desejo de mudança é forte. Terceiro, os eleitores querem um prefeito mais identificado com a cidade, que compartilhe, de fato, seus problemas e apresente soluções adequadas.

Batista em seus discursos sempre enfatiza que suas principais propostas são trazer um polo da UFG (Universidade Federal de Goiás) para a cidade e construir um novo Hospital Municipal.

Nas suas caminhadas diárias e nos contatos com as pessoas, Alex tem colhido várias reclamações sobre o asfalto recentemente colocado nos bairros. “Feito há pouco tempo, o asfalto derreteu com a primeira chuva. Nas ruas, as pessoas dizem: ‘É pior do que asfalto sonrizal’ relatam.

Douglas Martinho (PL) candidato a vice-prefeito, afirma que ambos vem trabalhando todos os dias para transformar a vida das pessoas. “Vamos vencer a eleição e transformar Cidade Ocidental. A aceitação está maravilhosa, o povo abraçando, tenho certeza que o 15 é a mudança”.

“Sem paixão, o Alex vai ganhar a eleição. Porque os eleitores querem dar um basta na gestão de Fábio Correa”, afirma Rodrigo Carlos, morador da cidade. “Nós queremos Ocidental de volta para o povo. Queremos arrancar a cidade do controle de um grupo político, o de Fábio”, afirma Carla Santos. “Vamos redemocratizar Ocidental.”