Dados foram apresentados durante workshop promovido pelo Senai nesta semana

Aproximadamente 30,6 mil estudantes de 330 escolas do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) em todos os estados e no Distrito Federal participaram da Avaliação de Desempenho de Estudantes (ADE), um dos componentes do Sistema de Avaliação da Educação Profissional e Tecnológica (Saep). Elaborada em parceria com o Senai e aplicada pelo Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe), a avaliação visa avaliar e melhorar os cursos de educação profissional técnica de nível médio, por meio de avaliações objetivas e práticas, utilizando como indicador a proficiência dos alunos.

Os dados gerais da avaliação educacional do ciclo 2020 foram apresentados pela Coordenadora de Ensino, Pesquisa e Avaliação do Cebraspe, Renata Manuelly de Lima Rêgo, durante o “Workshop dos Resultados da Avaliação do Desempenho dos Estudantes do Senai”, realizado pelo Senai nesta semana. Para ela, os dados permitem refletir sobre os resultados e, principalmente, utilizar os levantamentos nas intervenções pedagógicas para o ano de 2021.

Além de disponibilizar uma série histórica, a avaliação traz a proficiência dos estudantes, o desempenho dos cursos e das escolas, possibilitando, assim, o aprimoramento da educação profissional oferecida pelo Sistema Industrial. A metodologia utilizada é a mesma aplicada no ENEM/MEC e também pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), na avaliação do Program for International Student Assessment (PISA).

A avaliação é separada em duas etapas: prova objetiva on-line e prova prática. As provas objetivas foram aplicadas entre setembro de 2019 e setembro de 2020 e foram realizadas por meio do sistema para aplicação de provas on-line denominado Sistema de Aplicação de Testes Eletrônicos (SATE). Do total de participantes, 74,7% obtiveram resultados nos níveis adequado e avançado nas provas objetivas, ou seja, cerca de 16,7 mil estudantes. A Avaliação de Desempenho de Estudantes também ouviu, por meio de questionários, 2.510 docentes, 340 coordenadores pedagógicos e 235 gestores.

Em 2018, os estudantes no nível avançado na prova prática eram de 18,2%. Já em 2020, esse percentual avançou para 54,7%. Além disso, os dados da prova prática apresentados num comparativo entre os três últimos anos, mostram que a porcentagem dos estudantes no nível abaixo do básico passou de 7,6%, em 2018, para 2,9% no ano passado. Por outro lado, os estudantes com resultados no nível avançado subiram de 18,2% em 2018, para 54,7% na última avaliação. “O ideal é que haja uma integração das informações e dos diferentes instrumentos para assim alcançar as metas estabelecidas e garantir a educação de qualidade, que é o que mais importa”, conclui a Coordenadora do Cebraspe.

Responsável pela gestão do Saep no Departamento Nacional, Hugo Nakatani realizou o lançamento da Plataforma de Resultados desenvolvida em parceria com a equipe do Cebraspe. Segundo ele, a ferramenta foi criada pensando nos docentes, coordenadores, gestores e interlocutores para agilizar a tomada de decisão. “O Saep está numa evolução constante e em um processo intenso de transformação digital. Por isso, não podíamos ficar para trás”, explica. “Precisamos deixar essas informações claras, transparentes e acessíveis, alinhando com as boas práticas nacionais e internacionais de avaliação de larga escala”, ressalta.

PROGRAMAÇÃO – Ao todo, serão quatro dias de programação, com apresentações sobre a importância do processo de avaliação dos estudantes e, principalmente, sobre como incorporar esses resultados no dia a dia das instituições de ensino. O evento contou com a participação de 1.400 colaboradores do Senai em todos os Departamentos Regionais.

“Nosso objetivo é que, ao longo deste workshop, nós possamos entender melhor o processo de avaliação, nos apropriar desses resultados e adotar iniciativas no nosso dia a dia para melhorar esses indicadores”, diz. “A ideia é aprender com nós mesmos para que possamos elevar todos os cursos a um patamar de excelência”, destaca o gerente de Tecnologias Educacionais no Senai Departamento Nacional, Luiz Eduardo Leão.

O Coordenador-Geral de Instrumentos e Medidas Educacionais e Diretor de Estudos Educacionais Substituto do Inep, Gustavo Henrique Moraes, também participou dos debates e abordou os benefícios da avaliação externa na educação profissional, um indicador fundamental na busca da qualidade da educação profissional. Em sua apresentação, Moraes anunciou o lançamento do livro “Avaliação da Educação Profissional e Tecnológica: Um campo em construção”, lançado pelo Inep. O livro contou com a colaboração do Cebraspe e do Senai nas boas práticas apresentadas.

A programação do workshop contou ainda com a apresentação do professor doutor do Departamento de Informática e Estatística da Universidade Federal de Santa Catarina (INE/UFSC), Adriano Ferreti Borgatto, que explicou o novo Indicador de Desempenho da Avaliação Profissional (IDAP), adotado a partir da edição 2020, conciliando os dados das provas objetivas e práticas.

Para saber mais sobre a experiência do Cebraspe com avaliações, clique no link a seguir: Cebraspe é especialista em avaliações educacionais e de políticas públicas.