Um Estado próspero e acolhedor é consequência direta de um bom governo, pautado nos princípios constitucionais que regem a Administração Pública. Moralidade e eficiência não são meros deveres legais, mas sim, verdadeiros pilares de um exemplar exercício da atividade administrativa. Prova disso é a transformação que o goiano confere e sente, em seu dia a dia, ao acompanhar os atos do governo estadual e o êxito de suas políticas públicas

Por Bruno D’Abadia

Se antes os direitos do cidadão eram suplantados pelo descaso e pela obscuridade de grupos políticos focados em seus próprios interesses, hoje a realidade é outra. Governo e governantes só existem para servir à sociedade. A premissa é essa, o resultado é uma melhor prestação de serviços.

O governador Ronaldo Caiado implementou um conceito de gestão voltado para produtividade e controle, o que trouxe ao Governo do Estado a capacidade de qualificar seus serviços gastando menos com o custo da máquina. A rotina de controle da folha de servidores estaduais é um dos indicativos da parcimônia estabelecida nos processos instaurados pela Secretaria da Administração. Até fevereiro de 2021, as medidas evitaram gastos indevidos de R$ 200 milhões aos cofres públicos.

Até o fim de 2022, a cifra deve saltar para R$ 600 milhões em contenção de despesas indevidas. Os procedimentos adotados incluem auditoria de óbitos de servidores, responsável por evitar gasto de mais de R$ 75 milhões no biênio, assim como a diligência que revisou e analisou conferência de processos de diferenças salariais, que poupou R$ 70 milhões para as contas do Estado.

Os investimentos tecnológicos auxiliam na tarefa, possibilitando a parametrização do sistema responsável pelo processamento da folha e identificando distorções. Mas, de fato, o cerne da incumbência são os servidores efetivos do Estado que operacionalizam o processo, simbolizando a confiança da administração nos colaboradores e evitando contratação de auditorias externas. A conquista sobreleva o propósito da gestão em otimizar a saúde dos gastos e priorizar as agendas de entregas à população.

Há mais iniciativas que merecem destaque no quesito economicidade, como revisão de contratos, redução de cargos em comissão, modernização do Estatuto do Servidor, entre outros. Em momentos tão difíceis como estamos vivendo agora, racionalizar o dinheiro público é sinal de respeito aos goianos. Neste sentido, com a regularização das contas do Estado, somado ao contexto de programação financeira e planejamento, o govenador Ronaldo Caiado reforça o compromisso com a prática da boa política, aquela preocupada em promover o bem comum, que investe no interesse coletivo, do cidadão.

*Bruno D’Abadia é secretário de Estado da Administração de Goiás- Sead-GO.