O Grupo MF Rural, de Marília (SP), implantou em sua plataforma de marketplace, líder no segmento, um sistema de pagamento para tornar as transações mais ágeis e seguras.

O MF Pago deve aumentar o tráfego de novos usuários, inclusive produtores rurais que antes tinham receio em comprar pela internet ou pagar uma compra sem garantia de entrega.

Este sistema de pagamento é semelhante ao de marketplaces convencionais, com a liberação do dinheiro somente após confirmação de recebimento do produto, oferecendo ainda comodidades como pagamento com cartão de crédito, boleto ou transferência bancária.

Antes, os trâmites de pagamento eram acertados, exclusivamente, entre compradores e vendedores, ficando à disposição o alcance da plataforma, estimado em 3 milhões de acessos mensais e 100 milhões de pageviews/ano.

“Com o MF Pago, é possível assegurar até mesmo a devolução do dinheiro, se houver problemas com prazos de entrega”, explica Roberto Fabrizzi Lucas, Chairman do Grupo MF Rural.

Aderir ao sistema é opcional, pelas taxas cobradas em cada modalidade, mas pelo volume até o momento, a empresa estima 3.000 operações mensais, até dezembro, com o auxílio da ferramenta. “Durante a fase de ajustes, alcançamos uma média de 300 operações por mês”, diz Rafael Fabrizzi Lucas, CEO da MF Rural.

Para desfrutar do recurso, é cobrada uma taxa de 6,9% sobre as operações com cartão de crédito e 2% sobre boletos ou transferências bancárias. Nos últimos dois casos, a cobrança não excederá R$ 499,00, independentemente do valor envolvido.

Cresce adesão ao marketplace no campo

Com a internet cada vez mais próxima das pessoas, também se tornaram comuns as negociações entre vendedores e compradores de produtos ou serviços agropecuários via marketplace, conforme já previa o fundador da MF Rural, o médico-veterinário Wilson Lucas, em 2004.

Tamanha é a importância no agronegócio, que, neste semestre, por exemplo,a plataforma foi a solução para muitos produtores que não conseguiram renovar a frota de máquinas agrícolas em decorrência da alta dos preços do minério de ferro e os decorrentes atrasos no prazo de entrega da indústria.

A pandemia de Covid-19 acelerou ainda mais a adesão a marketplaces, mas, na visão do CEO da MF Rural, a expansão no fluxo de transações na plataforma é fruto do próprio amadurecimento do agronegócio durante todos esses anos.

“Os recordes na produção de alimentos exigem investimentos em modernização e tecnificação. A demanda é gigantesca e, principalmente, os pequenos e médios produtores acabam recorrendo com mais frequência ao marketplace, em busca de uma melhor relação custo-benefício”, conclui Rafael Lucas.