História foi compartilhada durante a live do projeto Amor Cantado – Acolhimento Musical

Edson Donizeti em um dos encontros virtuais com a família

A Humanização é uma ferramenta fundamental no setor de saúde. Ela aumenta a eficácia e a segurança do tratamento oferecido aos pacientes por meio de ações, iniciativas normas e projetos que valorizam cada pessoa como um ser único. Essa prática é uma das premissas das Residências Terapêuticas do município de Alfenas, Minas Gerais.

Administradas pelo Instituto de Medicina, Estudos e Desenvolvimento – IMED, elas buscam oferecer aos moradores muito mais que acolhimento. A direção abraça a história de cada residente para garantir uma estadia digna e humana. A exemplo da história de Edson Donizeti Marques de Oliveira, de 60 anos.

Morador de uma das cinco residências da cidade desde 2018, Edson havia perdido completamente o contato com a família. Contudo, sempre que possível, compartilhava as lembranças de seus filhos e de seu local de origem, Pouso Alegre (MG), com os profissionais e colegas que o acompanham diariamente.

Sensibilizado pela trajetória do residente, João Batista da Cunha, diretor administrativo do Projeto Alfenas, acionou sua rede de contatos com as informações coletadas por meio de conversas e, em pouco tempo, conseguiu pistas importantes para iniciar o processo de comunicação com a família. 

“Com os dados adquiridos no dia a dia conseguimos um primeiro contato com sua ex-esposa, por quem fomos muito bem recebidos, e ela então abriu o caminho para conhecermos os filhos e netos dele”, conta Cunha que por coincidência também é de Pouso Alegre, assim como seu Edson e sua família.

Cunha conta que quando informou Edson de que sua família tinha sido encontrada ele ficou muito surpreso e emocionado. Além dos filhos, Paulo e Flavia, ele também ficou sabendo que agora tem três netos e o primeiro contato via vídeo chamada entre o pai e seu primogênito foi marcado por muita emoção.

A comunicação com todos da família já foi restabelecida virtualmente e deve ter uma frequência de agora em diante, mas todos os envolvidos já planejam um reencontro para depois do período de restrições em função da pandemia.


Cidadania recuperada

A história de Edson não acaba por aí. Ele deu entrada na residência terapêutica com apenas o número de CPF bloqueado. Tudo o que ele tinha havia se perdido com o tempo. Em paralelo com as buscas pela família, a direção da unidade contatou mais de doze cartórios na região para encontrar o local de origem da Certidão de Nascimento. O longo processo causou comoção e rendeu um excelente resultado. Recentemente, o diretor João Batista contatou a tabeliã de Notas do distrito de Sertãozinho e conseguiu recuperar a documentação.

“Conversei com a tabeliã por telefone e ela, assim como todos os profissionais do cartório, ficaram sensibilizados pela trajetória de Edson. No dia seguinte ao primeiro contato já estava com a versão digital da Certidão. Com isso, já iniciei o processo de regulamentação do CPF e solicitação da nova via do RG”, contou Cunha.

Além do contato restabelecido com a família, Edson reconquistou sua cidadania por meio dos documentos emitidos. “Agora é só estabelecer o reencontro pessoal com os filhos, após a pandemia, é claro, para finalizar a história com chave de ouro. Essas conquistas foram muito importantes para nós, como profissionais da saúde. Ver o sorriso no rosto de Sr. Edson não tem preço”, finalizou o diretor.

A história de Edson Donizeti foi compartilhada com os telespectadores da live Amor Cantado – Acolhimento Musical na tarde desta quarta-feira (14). Hercílio Ramos Júnior, engenheiro e voluntário há quase um ano de uma das mais importantes ações de humanização do IMED, ficou emocionado com a trajetória do residente.

“Não tenho palavras para expressar a minha felicidade em poder compartilhar com o público essa linda história de amor ao próximo. O que fizeram pelo Edson é de uma humanidade inenarrável”, disse Ramos.

A iniciativa é transmitida ao vivo todas as quartas-feiras, às 15h para os Hospitais de Urgências de Trindade (Hutrin), Regional de Luziânia (HRL), Regional de Formosa (HRF) e Regional São Luís de Montes Belos – Dr. Geraldo Landó, em Goiás, e para as Residências Terapêuticas de Alfenas, em Minas Gerais.


IMED EM ALFENAS

O Projeto Alfenas do IMED teve início em 2018 e hoje abrange a administração de 13 Unidades de Saúde, sendo elas: 6 ESFs (Estratégia Saúde da Família), 1 Ponto de Apoio, 1 CAPS, 1 Centro de Convivência e 5 Residências Terapêuticas.

Somente as cinco ESFs e o ponto de apoio somam 22.252 usuários cadastrados, já a saúde mental atende 33 moradores fixos das Residências Terapêuticas e dezenas de outros pacientes passam por tratamento e acolhimento no CAPS e no Centro de Convivência.

O IMED atua em parceria com a Prefeitura Municipal de Alfenas com um quadro de 75 profissionais envolvidos no projeto de saúde da cidade juntamente com o efetivo da administração pública.