A unidade móvel de atendimento atua há cerca de cinco anos.

Dezenas de cidades do Brasil já receberam a visita da "Carreta Solidária", uma unidade móvel de atendimento mantida pela Agência Adventista de Desenvolvimento e Recursos Assistenciais (ADRA). Entre os serviços especiais oferecidos gratuitamente pela carreta, estão a lavagem e secagem de roupas e distribuição de refeições, além de outros serviços que garantem atendimento básico para aqueles que foram afetados por desastres naturais ou vivem em regiões carentes, seja através de alimento, higiene e/ou assistência psicossocial.

A unidade móvel de atendimento atua há cerca de cinco anos. Neste período, mais de 100 mil pessoas foram assistidas pelas ações. O líder da ADRA Brasil, Fábio Salles, destaca que a carreta passou por mais de 40 cidades brasileiras. Cortando as estradas do País, serviu mais de 107 mil refeições e lavou 112 toneladas de roupas. "Como ADRA temos uma missão: servir pessoas e dar assistência àqueles que mais precisam", pontua Salles.

O caminhão adaptado tem aproximadamente 45 metros quadrados de área útil e está dividido em três compartimentos que visam atender às principais necessidades da população afetada. O primeiro é usado para o preparo de alimentação quente, com capacidade para até 1.500 refeições por turno. O segundo é destinado para a lavagem e secagem de roupas, com capacidade de entregar até 360 quilos de roupa limpa por dia. O terceiro serve para a realização de apoio psicológico.

De acordo com a coordenadora da unidade móvel, Cristiane Maximiano, a carreta atendeu vítimas de tragédias, como a de Brumadinho, em Minas Gerais, além de vítimas dos deslizamentos de terra em São Paulo e prestou apoio no combate ao coronavírus. "Uma das experiências que mais me marcou foi o atendimento que fizemos em Brumadinho. Devido ao tamanho do desastre e a mobilização de voluntariado, eu vivi uma experiência que mudou a minha maneira de pensar e sentir", relembra Cristiane, emocionada.

Centenas de voluntários também auxiliam na ajuda humanitária, fornecendo alimentação, higienização de roupas, atendimento psicossocial e espiritual para as pessoas atingidas em situações de emergência ou vulnerabilidade social.

A unidade móvel da ADRA, por exemplo, atuou em Salvador, Bahia. Lá serviu refeições e lavou toneladas de roupas de pessoas em situação de rua. Já no Rio Grande do Sul, deu apoio a abrigos para isolamento social de pessoas em vulnerabilidade, servindo três mil refeições e lavando toneladas de roupas. No Espírito Santo, ofereceu apoio a um centro de isolamento para pessoas em situação de rua, além de uma comunidade carente local. Foram mais de 12.500 refeições distribuídas, além de 20 toneladas de roupas lavadas.

Nesta quarta-feira (19) é celebrado o Dia Mundial Humanitário. A data foi instituída pela ONU em 2008 para lembrar o dia do atentado ao escritório da entidade no Iraque, que vitimou, em 2003, 22 pessoas, incluindo o brasileiro Sérgio Vieira de Mello. Nesta data, Cristiane Maximiano e seu marido Tiago celebram os cinco anos que trabalham nesta iniciativa.

Para conhecer os projetos da ADRA e saber como colaborar, visite o site adra.org.br.adra.org.br