O Jardim do Éden deve receber até 1280 famílias quando as quatro etapas forem concluídas (Foto: Divulgação)

Manutenção de equipamentos em dia e escolha certeira de bons fornecedores também estiveram entre as medidas adotadas em canteiro de Águas Lindas, no entorno do Distrito Federal, que evitaram atrasos nas entregas contratuais


Entregar a obra no prazo acordado com o cliente é um dos principais desafios da construção civil. Durante a pandemia da Covid-19, as empresas do segmento estão correndo contra o tempo e apostam na qualificação da mão de obra e na escolha acertada de parceiros e fornecedores para conseguir honrar os contratos. É o caso do Jardim do Éden, primeiro bairro planejado de Águas Lindas de Goiás, a 45 km de Brasília. A primeira etapa do loteamento já foi entregue a 340 proprietários, que agora estão erguendo suas casas, e as obras da segunda etapa, para mais 300 famílias, continuam a todo vapor e entraram na reta final. O residencial deve receber 1280 famílias quando as quatro etapas forem concluídas.

De acordo com o engenheiro fiscal da obra, Lucas Soares Mruk, uma das formas de se contornar os atrasos causados pelos períodos de lockdown, decretados pelo poder público por algumas vezes ao longo dos últimos meses, foi desenvolver um bom planejamento e escolher fornecedores que garantam a entrega de materiais e insumos no prazo. A obra prioriza, assim, fornecedores que tenham boas referências no mercado e capacidade para atender o volume de material demandado no loteamento.

“Em relação aos fornecedores e à matéria-prima, precisamos sempre certificar a qualidade dos produtos ofertados no mercado e também buscar parceiros que sejam conceituados no mercado. Uma das principais causas de atraso em obras de infraestrutura ocorre na chegada dos materiais. Para cumprir o prazo, estamos sempre um passo à frente na compra dos materiais, casando o nosso cronograma de execução com o prazo de entrega exigido pelo fornecedor dos materiais”, explica Lucas.

Outro ponto importante ressaltado pelo engenheiro é a utilização de máquinas com manutenção em dia. Mesmo com a capacitação adequada de funcionários para operar máquinas de grande porte, o planejamento da obra deve considerar a possibilidade de eventuais defeitos nos equipamentos durante os trabalhos e também precisa poder acionar rapidamente a assistência, para evitar paralisações muito longas no cronograma.

“Outra causa frequente de atrasos em obras são máquinas que se danificam. Procuramos sempre uma empresa com boa estrutura e que tenha a manutenção de suas máquinas em dia, evitando assim a paralisação das obras. Além disso, é importante manter uma fiscalização incisiva sobre a equipe executora, garantindo e atestando a execução de forma correta de todas as etapas das obras”, ressalta o engenheiro.


Uma das pracinhas do Jardim do Éden, em Águas Lindas de Goiás (Foto: Divulgação)

Lucas Soares Mruk também destaca a importância de investir na qualificação da mão de obra, por meio de treinamentos constantes. Segundo ele, uma equipe com número suficiente de colaboradores e que é formada por profissionais que estão atualizados em suas funções e atribuições tem mais condições de cumprir com os prazos determinados pelo planejamento e também contornar imprevistos e contratempos que possam surgir ao longo dos trabalhos. Além disso, evita o retrabalho e o desperdício de materiais e insumos.

“Um dos grandes desafios é garantir uma mão de obra preparada e capacitada em nossas obras. Temos um corpo técnico muito bem preparado, além de engenheiros experientes no processo. Contamos também com o apoio de duas equipes de laboratório dos solos e duas de topografia, tendo assim sempre a prova e a contraprova dos resultados obtidos em campo, evitando retrabalho e garantindo uma melhor assertividade em nossa produção. Sem dúvidas contamos com um gerenciamento de dados e recursos enxuto, evitando ao máximo desperdícios de material e retrabalho das equipes executoras”, afirma.

O Jardim do Éden é um bairro planejado na região central de Águas Lindas de Goiás, onde no passado havia um vazio urbano e destino de entulho. Hoje, os 440 mil metros quadrados estão recebendo casas, ruas amplas, avenida dupla e áreas comerciais. A primeira etapa já foi entregue com infraestrutura completa como asfalto, energia elétrica, iluminação pública, água tratada, rede de esgoto e galeria pluvial.

Jardim do Éden já entregou a primeira etapa e as obras seguem a todo vapor (Foto: Divulgação)