Projeto especial desenvolvido pela Datec em uma grande fornecedora de painéis ao setor moveleiro já é executado em pelo menos outras 15 empresas-clientes.

 

A marcação e a gravação a laser de dióxido de carbono de peças têm se destacado como opção recorrente no mercado. A tecnologia é caracterizada pelo alto desempenho e por servir a diversos segmentos industriais – afinal, é aplicável em borracha, plástico e vidro, entre outros tipos de materiais. Agora, uma solução recentemente apresentada se mostra eficiente na aplicação em placas de MDF, indispensável a várias cadeias produtivas.

O desenvolvimento dessa solução integrou projeto especial da Datec, um dos players no Brasil do setor de codificação industrial, inspeção de produtos, automação industrial e robótica. Trata-se, na verdade, de um conjunto de “soluções integradas”, conforme define o engenheiro mecânico Cristian Vidor, supervisor operacional da Datec. Tais soluções já estão sendo fornecidas, e há empresas que não só experimentaram como aprovaram a tecnologia, adianta o executivo.

“Essa tecnologia consiste em integração de máquinas de gravação a laser, por meio da qual uma única máquina de gravação a laser CO2 consegue gravar placas de MDF uma a uma, em um pallet”, informa o engenheiro. A aplicação em MDF é, ressalta Vidor, inovadora, porque as máquinas de gravação a laser não dispunham de condições técnicas suficientes – o que foi solucionado pelo projeto em questão, frisa o supervisor.

Projeto da Datec

“As máquinas a laser não conseguem atender uma janela de gravação grande o suficiente para realizar o trabalho [em MDF]. A Datec construiu um dispositivo que possibilita realizar essa marcação com uma única máquina a laser”, explica Vidor, que enumera os ganhos, em relação à marcação convencional: não há consumo de tinta e a máquina não gera atraso de linha para gravação, pois não é necessário parar o fluxo normal de saída de pallets, para impressão. A economia com custos operacionais chega em torno de R$ 5 mil por mês, pontua o engenheiro.

Ele acrescenta: “O industrial pode entregar o seu produto codificado, podendo rastreá-lo a um baixíssimo custo.” Na ponta, as vantagens são evidentes, especifica Vidor: “a indústria consegue rastrear o seu produto e, também, transmitir mais confiança e credibilidade aos seus clientes”.

O desenvolvimento do projeto, pela Datec, deu-se na Greenplac, uma das principais fornecedoras de MDF da indústria moveleira no Brasil. De acordo com a fabricante de MDF, com a nova solução foi possível adquirir uma máquina a menos, em relação ao que ocorreria normalmente, por estação de trabalho, o que já representa uma economia considerável em aplicação de recursos. Além disso, a instalação se deu sem onerar o processo produtivo da Greenplac.

O investimento nesse projeto foi da ordem de R$350 mil, informa Vidor, da Datec. "O retorno do investimento é na casa de 15 meses”, afirma. A execução já se expandiu para outros clientes da Datec, inclusive de outros segmentos industriais. “Entre os clientes desse modelo de projeto, temos empresas como Kellogg’s, Weg, Copacol, Moinho Tondo, entre outras.”

Um diferencial do fornecimento da Datec é, segundo o supervisor operacional, o desenvolvimento de soluções customizadas – isto é, adequadas às peculiaridades das linhas de produção das unidades fabris de seus clientes. “Fazemos, inclusive, a adaptação dos equipamentos desse cliente, se necessário for”, assinala.

MAIS INFORMAÇÕES

Sobre a Datec: https://www.datec.ind.br/