Apresentado nesta quarta-feira, 11 de maio, o Projeto de Lei de autoria da vereadora Professora Elenir, que institui a Semana Municipal de Conscientização Sobre a Pessoa com Síndrome de Down, a ser realizado anualmente na semana do dia 21 de março – Dia Internacional da Síndrome de Down

Foto: Cleben Lopes.

O principal objetivo do PL, segundo a autora, é informar e conscientizar as pessoas sobre o que é a Síndrome de Down. Nas ações desenvolvidas, poderão participar e deverão ser convidadas lideranças de movimentos sociais, entidades governamentais e não governamentais da esfera municipal e estadual, organizações de pessoas com deficiência e seus familiares, visando o desenvolvimento e fortalecimento de políticas públicas de prevenção das deficiências e o conhecimento sobre a Síndrome de Down.

A Síndrome de Down é uma alteração genética presente na espécie humana desde sua origem. Foi descrita como tal há 150 anos, como um quadro clínico com identidade própria. A população, em geral, tem 46 cromossomos divididos em 23 pares. Metade vem da mãe, metade do pai. Muitas vezes – mais especificamente uma vez a cada mil, segundo a Organização Mundial de Saúde – a formação do par 21 vem com um “erro”, e em vez de um par, são herdados três cromossomos.

Essa trissomia começa a ser reproduzida em todas as células do feto a partir de então, e é assim que essa síndrome se consolida no indivíduo.

A Síndrome de Down é a primeira causa conhecida de discapacidade intelectual, representando aproximadamente 25% de todos os casos de atraso intelectual, traço presente em todas as pessoas com a síndrome. Estima-se que no Brasil Cerca de 300 mil brasileiros nasçam com a síndrome de Down, segundo o IBGE; no mundo, a incidência estimada é de 1 em 1 mil nascidos vivos.