Hetrin realiza primeiro curso de formação de auditores internos do IMED

Auditoria acontecerá em todos os setores do hospital, avançando em processos contínuos de melhorias


O Hospital Estadual de Trindade – Walda Ferreira dos Santos (Hetrin) – realizou no mês de abril o primeiro Curso de Formação de Auditores Internos do Instituto Médico de Ensino e Desenvolvimento - IMED, organização social responsável pela administração da unidade. O curso ministrado pela Analista de Qualidade, Laiany Miranda, teve a duração de quatro dias e contou com a presença de colaboradores selecionados pela diretoria da unidade para passarem pela qualificação.

O processo de auditoria interna corresponde à análise das atividades no ambiente hospitalar para verificar se os processos desempenhados seguem os padrões de qualidade e segurança do paciente estabelecidos. Apesar de ser realizada internamente, o maior beneficiado desse processo é o paciente, já que todas as melhorias implementadas, a partir das auditorias, influenciam no atendimento assistencial da unidade.

Com a formação dos auditores, o Hetrin promoveu o ciclo de primeira auditoria interna abrangendo todos os setores do hospital. O principal foco é nas atividades do dia a dia, tanto nas etapas de atendimento do paciente, desde a recepção até o momento da alta, quanto nos processos administrativos. Para a diretora da unidade, Vânia Fernandes, os auditores são fundamentais para o processo de melhoria contínua da unidade. “A implantação da auditoria interna é um passo que avançamos para um processo contínuo de melhorias frente às fragilidades encontradas e, assim, aperfeiçoar cada vez mais os serviços prestados”, afirma.

Durante o processo, os auditores seguem diversos checklists elaborados pela enfermeira da qualidade do Instituto de Medicina, Educação e Desenvolvimento (IMED), Janaína Saito. O documento analisa quatro grupos de requisitos que são essenciais ao hospital – infraestrutura e equipamentos; gestão; técnica operacional e gestão de riscos – e a partir da observação e de evidências nos postos de trabalho, é realizada uma classificação de cada item como: ‘conforme’, quando tudo está sendo realizado como é esperado; ‘parcial conforme’, quando o processo está em implementação ou ainda não possui documentos comprovatórios; ou ‘não conforme’, quando faltam protocolos e ações essenciais para a rotina hospitalar.

As avaliações realizadas nas auditorias resultam em um relatório com pontos de melhoria e para cada não conformidade, um plano de ação é elaborado e aprovado para o avanço dos serviços prestados. Por isso, o processo auxilia na identificação e correção de falhas dos processos; melhora a qualidade do atendimento; ajuda no crescimento financeiro sustentável; e possibilita a avaliação dos serviços prestados. Tudo para atender as necessidades da comunidade, com foco na excelência da qualidade assistencial.

Assessoria de Comunicação do Hospital Estadual de Trindade

Isabela Maione – isabela.maione@ecco.inf.br

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
GDF