Expedição Safra Goiás 2024 vai passar por 80 municípios

Expedição, de 15 a 19 de janeiro, vai analisar os efeitos dos impactos climáticos no início do plantio da soja em Goiás (Foto: Enio Tavares/Seapa)
Expedição, de 15 a 19 de janeiro, vai analisar os efeitos dos impactos climáticos no início do plantio da soja em Goiás (Foto: Enio Tavares/Seapa)

Por Juliana Carnevalli - Agência Cora Coralina

A Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) e suas jurisdicionadas Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (Emater) e Agência Goiana de Defesa Agropecuária (Agrodefesa) apoiam a Expedição Safra Goiás 2024.

Realizada pelo Sistema Faeg/Senar/Ifag, a iniciativa tem o objetivo de conhecer, in loco, a real situação da safra de soja goiana no ciclo 2023/2024. Também apoiam a iniciativa a Embrapa, Sicoob Secovicred, Nissan/Saga, Bayer e Agrotrends. 

Expedição Safra

A partir do dia 15 de janeiro, quatro equipes vão percorrer mais de 5,8 mil quilômetros em 10 rotas, que passarão por aproximadamente 80 municípios goianos. O primeiro dia da Expedição Safra Goiás será finalizado no Sindicato Rural de Catalão, com evento às 19h, com uma apresentação do trabalho com abordagem climática e de mercado para produtores rurais e a imprensa.

O evento segue com a mesma programação nos dias 16, em Rio Verde; 17, em Jussara; 18, em Porangatu; e 19, em Posse. 

Dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), de dezembro de 2023, apontam uma área de 4,6 milhões hectares de soja plantada em Goiás, estimando uma safra para 23/24 de 17 milhões de toneladas. Número 3,9% menor do que as 17,7 milhões de toneladas da safra 22/23. A colheita já começou em alguns municípios, como Rio Verde e Montividiu. A expedição vai checar presencialmente a realidade. 

"Diante dos impactos climáticos, principalmente no início do plantio, organizamos essa expedição para saber o quanto a safra de soja foi afetada e as regiões mais impactadas, especialmente pelas condições climáticas adversas. Para isso, as equipes técnicas irão nas lavouras indicadas pelos Sindicatos Rurais e coletarão amostras", explica o presidente do Sistema Faeg/Senar/Ifag, José Mário Schreiner.

Após análises das amostras, os resultados serão apresentados em novo evento. "Goiás tem seu desenvolvimento baseado no agro e buscar conhecer de forma mais precisa os números finais da safra é fundamental para todos que, de alguma forma, dependem do agronegócio goiano", conclui Schreiner. 

Para o titular da Seapa, Pedro Leonardo Rezende, é fundamental compreender a realidade no campo, especialmente diante dos desafios climáticos enfrentados no início do plantio.

"A cultura da soja desempenha um papel vital em nossa economia agrícola e, por isso, a Expedição Safra é tão importante. Ela proporcionará dados precisos sobre as condições das plantações e nos permitirá entender as regiões mais impactadas. Esse conhecimento é fundamental para orientar políticas públicas, aprimorar estratégias agrícolas e proporcionar segurança aos agricultores e demais envolvidos no agronegócio goiano", comenta o secretário.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
GDF