Há 16 anos na estrada, o grupo Cultural Indígena Walê Fulni-ô (Pernambuco) promove a interação entre alunos e professores de escolas do Distrito Federal e os Fulni-ô, tribo indígena de Pernambuco.

Até o dia 29 de abril alunos de 20 escolas públicas do Distrito Federal e também do entorno irão conhecer o Brasil pelo Grupo Cultural Walê Fulni-ô. Índios de uma tribo pernambucana com habilidades artísticas, no campo da dança, da música e do artesanato, estão na cidade para promover intercâmbio cultural entre duas civilizações diferentes. O objetivo desse encontro de forte caráter sócio-educativo, que já atendeu mais de 500 escolas do DF, em 16 anos de existência, é fazer com que a garotada se familiarize com a realidade de um povo que ajudou a formar a base da sociedade brasileira, os índios. “Sair um pouco do livro e da sala para aprender sobre os índios diretamente com eles, quebrando preconceitos e estereótipos, levando cultura para as escolas”, diz o arte-educador Pablo Ravi, com experiência profissional junto à FUNAI - entidade nacional responsável pelos interesses indígenas – ele e o também arte-educador Daniel Santos fazem um primeiro contato junto às escolas promovendo palestras lúdicas, descontraídas e interativas. A ideia é despertar o senso crítico e trazer novas reflexões sobre a comunidade indígena brasileira. “Tem escolas, tanto públicas como particulares, que ligam todo ano querendo receber o grupo”, comenta Ravi.

A segunda etapa do projeto é mais divertida, com apresentações de danças, canções e rituais Fulni-ô para alunos, professores e funcionários das escolas, fazendo que todo mundo, literalmente, entre na roda. Brincando, se divertido e interagindo, todos aprendem histórias da tribo e um pouco da língua nativa yatê. O Grupo Walê Fulni-ô fará as apresentações sócio-educativas no Varjão, Estrutural, Itapoã, Ceilândia, entre outras cidades.

Para difundir os costumes, tradições e o dia a dia da tribo indígena uma exposição de artesanato será montada durante a passagem do Grupo Walê Fulni-ô pela escola. Uma lembrança marcante dessa experiência poderá ser adquirida com a compra de brinquedos baratos como arco e flecha, brincos, apitos, chocalhos, flautas e cocas.

om apoio do Fundo de Apoio à Cultura – FAC , o projeto DIA do Índio contempla o cumprimento de lei 11.645 de 10/03/2008 que determina o ensino de Cultura Indígena nas escolas. A iniciativa, há 16 anos na estrada, é um reconhecimento da importância dos índios na formação do povo brasileiro. Existem no Brasil mais de 230 tribos indígenas, mostrando a imensa diversidade dessa cultura.

Visitas às escolas

Para essa 16ª edição serão realizadas 40 apresentações, de manhã e à tarde, em 20 escolas de Brasília e entorno. Outras instituições de ensino interessadas ou que não foram contempladas pelo projeto, poderão também solicitar a visita da tribo pelo 7812-4922. Sujeito à disponibilidade de agenda. 

Serviço
Dia do Índio
Local: Projeto itinerante com o Grupo Walê Fulni-ô por 20 escolas 
Dias:  de 5 a 29 de abril em escolas do DF e dia 19 de abril no Memorial dos povos indígenas
Horário: conferir programação
Informações: (61) 3263-4922 /  7812-4922/ ID 55*133*596
Entrada franca