Foto: Leo Iran.

A 70ª Exposição Agropecuária de Goiás teve início na última sexta-feira, dia 8, e chega repaginada à capital. Em 2015 inúmeras novidades aguardam o público frequentador de uma das mais tradicionais festas goianas. Entre as novidades para esta edição estão a redução no valor dos ingressos, e também no valor cobrado pelos bares e restaurantes presentes na feira. A expectativa de público é de 350 mil pagantes. Neste ano também acontece a separação entre a feira de negócios e os shows, uma das maiores atrações populares da festa. De acordo com o presidente da Sociedade Goiana para Pecuária e Agricultura (SGPA), Hugo Goldfeld, essa decisão foi tomada com o objetivo de não estressar os animais que estarão expostos no evento.

Esse ano também haverá shows específico para crianças, e de acordo com Goldfeld, no ano que vem até uma fazendinha será instalada no local, para aproximar as crianças dos animais e da vida rural, e para trazer de volta as famílias à exposição. “Queremos que mais pessoas frequentem, mais pessoas conheçam e que mais pessoas participem do evento, nosso objetivo é popularizar outra vez a festa da SGPA”, diz ele.

Diplomacia de resultados
Segundo ele o novo formato da feira inclui a tentativa de fazer da exposição uma agência de negócios voltada para o agropecuarista e para o desenvolvimento do Estado.“Durante o transcurso da festa receberemos 17 embaixadores árabes. Esses embaixadores não estão vindo aqui apenas fazer uma simples visita, eles estão buscando fazer negócio, ou seja, nós estamos procurando uma diplomacia de resultados, para poder melhorar a economia do Estado, dos nossos produtores e fazem com que haja um aumento de exportações em Goiás”, explica Goldfeld.

Apoio do Governo de Goiás

Durante as duas semanas de exposição o Governo de Goiás estará presente na feira. De acordo com Goldfeld o Governo de Goiás tem dado apoio irrestrito e absoluto ao evento, participando diretamente das negociações e dos convites junto às embaixadas estrangeiras, em Brasília.

Outro setor em que o apoio do Estado tem tido participação efetiva é no que diz respeito à segurança da Feira. Segundo o presidente da SGPA, a Polícia Militar de Goiás estará presente no evento, com mais de mil homens, tanto dentro como no entorno da feira. Empresas de segurança particular também foram contratadas pela organização do evento. “Como queremos trazer as famílias de volta à feira temos que baixar preço e garantir muita segurança a todos visitantes”, reforça ele.

Durante a exposição as principais superintendências da Secretaria de Desenvolvimento Econômico Científico e Tecnológico de Goiás (SED) estarão presentes em um amplo estande dentro da Feira. No local, as principais ações de políticas públicas desenvolvidas pelo Governo de Goiás serão apresentadas ao público visitante. Segundo o superintendente de Executivo de Agricultura da SED, Antônio Flávio Camilo de Lima, a finalidade da participação do Estado na Feira é interagir com o público, sobretudo com os produtores rurais, de forma a tornar essas políticas cada vez mais claras e efetivas para os reais interessados nesse processo.

“A participação do Governo de Goiás na exposição simboliza o apoio que esse governo tem dado ao setor agropecuário e ao agronegócio goiano, e também representa o reconhecimento que o governo tem com esse setor extremamente importante para a economia goiana”, destaca o superintendente.

Um dos líderes nacionais do setor produtivo

Com apenas 10% de área irrigada, Goiás está entre os maiores produtores de alimentos do país.

Goiás se posiciona hoje entre os quatro maiores estados produtores de alimentos no País. Ocupa 1º lugar na produção de tomate industrial e sorgo, e é o 4º maior produtor de soja e milho do Brasil.

O superintendente associa essas colocações às condições climáticas, à competência dos produtores e ao apoio governamental (histórico) dispensado ao setor, sobretudo em termos de infraestrutura e no amparo à instalação de novas empresas em Goiás.

Goiás tem um dos maiores rebanhos bovinos para a produção de carne e leite. O Estado é também o 5º produtor nacional de leite e possui o 3º maior rebanho confinado no país. Outros segmentos como a avicultura e a suinocultura também despontam no Estado. “Nesses dois últimos segmentos Goiás tem o maior complexo brasileiro de transformação e industrialização dessas carnes, que está instalado no município de Rio Verde, enfim, é uma de agricultura que tem assegurado à economia goiana pleno desenvolvimento e condições mais favoráveis para enfrentarmos momentos de dificuldades como esse que vivemos atualmente no país,” finaliza Antônio Flávio.