Centro obstétrico do Hospital Regional de Formosa desenvolve projeto com órgão e emociona mães



Silvânia Pereira da Silva recebeu a arte de sua placenta – FOTO: Divulgação

Para muitas mulheres, a gestação é uma etapa da vida muito aguardada. No processo gestacional, as grávidas desenvolvem uma ligação muito íntima com o bebê, desde a descoberta da gravidez até o dia do parto. Biologicamente, são as futuras mães as responsáveis por cuidar, alimentar e transportar a criança em seu ventre por até 42 semanas.

Toda e qualquer lembrança deste momento é eternizada como um verdadeiro tesouro. Pensando nisso, no último mês, o corpo de enfermeiros do Centro Obstétrico do Hospital Regional de Formosa, representado pela enfermeira Mariana Oliveira, desenvolveu um projeto utilizando as placentas das parturientes que dão à luz na unidade, intitulado de ‘Projeto Renascer’.

“O parto e, principalmente, o pós-parto é um momento de total envolvimento das mães com o ato materno. Humanizar essa experiência também é o nosso papel”, afirmou a enfermeira.

Assim que as mães dão à luz e têm o primeiro contato com o seu bebê, uma fase importante de higienização e assepsia intrauterino tem início. A placenta, órgão vital para a formação do bebê, é expelido pela mãe. A enfermeira Mariana enxergou nessa etapa do pós-parto uma maneira de aproximar ainda mais a puérpera daquilo que a ligou intimamente com o seu filho durante nove meses: a placenta.

Assim que o órgão é expulso pela mãe e, antes do descarte, ele é higienizado e depositado em uma bandeja. Com tinta guache rosa, o tecido, membranas e artérias vão sendo tingidos pelas mãos da enfermeira. O cordão umbilical, responsável por transportar os nutrientes necessários ao feto durante a gestão, também ganha tons azulados.

Em seguida, o órgão é coberto por uma folha branca para imprimir ali sua forma. O resultado é um lindo desenho em formato de árvore, com caule, galhos e copa que foi chamado de “árvore da vida”.

Árvore da Vida

Assim como na natureza onde a semente cultivada se torna uma árvore frutífera, a mulher também é agraciada por essa transformação quando fica grávida. Seu corpo se prepara para germinar uma nova vida e tudo ganha novo sentido.

Embora muitas mães não saibam, mas a placenta é importantíssima durante o período gestacional. Ela é responsável pela troca de nutrientes entre a mãe e o bebê, a eliminação de produtos residuais produzidos pelo feto, além de proporcionar a troca gasosa no interior da bolsa gestacional.

Algumas puérperas que deram à luz no Hospital Regional de Formosa recentemente, também não sabiam da importância desse órgão. Foi com grande surpresa e alegria que Silvânia Pereira da Silva, parturiente do hospital, recebeu do Projeto Renascer a sua árvore da vida.

“Recebi o desenho da árvore da vida com grande emoção. Fui muito bem atendida por toda a equipe e jamais imaginei que pudessem fazer algo tão lindo com a placenta,” ressaltou a nova mamãe.

 

Sobre o HRF

O Hospital Regional de Formosa foi estadualizado em abril de 2020. O processo teve início em agosto de 2019 e passou pela aprovação da Câmara dos Vereadores e da Assembleia Legislativa. O Instituto de Medicina, Estudos e Desenvolvimento – IMED assumiu a gestão, em junho, com o compromisso de ampliar o atendimento à população instalando 10 leitos de UTI para pacientes com Covid-19.

As obras estão em andamento e durante o processo de regionalização a população continuará contando com os serviços de Pronto Socorro 24 horas, clínica médica, ortopedia e atendimento a gestantes. Passada a urgência da pandemia o Hospital com melhorias na infraestrutura ficará para a região, ampliando as opções de atendimento para usuários do Sistema Único de Saúde (SUS).

 

 

Assessoria de Comunicação Hospital Regional de Formosa/ Ecco Comunicação

 

Aline Marinho (11) 95484-9927 – aline@ecco.inf.br  

Dario Vasconcelos (11) 95761-7712 – dario@ecco.inf.br

Carol Castro (61) 98320-1718 – carolina@ecco.inf.br