Construção civil em 2024: tendências para ficar de olho

 Construção civil em 2024: tendências para ficar de olho 

Tecnologia, sustentabilidade, customização e gentileza urbana são destaques em momento em que baixa na taxa de juros e financiamentos facilitados contribuem para aquisição de imóveis 

O mercado imobiliário tem se mantido não somente aquecido como em expansão ao longo dos últimos anos. Para 2024, o cenário aponta para determinados itens e diferenciais na construção civil que já adquiriram o status e/ou tendem a se fortalecer como tendências ao longo do ano. A tecnologia se mantém como uma das maiores aliadas, associada a práticas sustentáveis e de preservação do meio ambiente, personalização, otimização de tarefas nas obras, recursos digitais para garantia de maior praticidade e agilidade, e toda uma conjuntura de novas prioridades do público consumidor. Somam-se ainda os juros favoráveis, com a queda na taxa Selic, o que contribui para facilitar os financiamentos imobiliários e impulsionar o fechamento de negócios.

Segundo o diretor de Incorporação da EBM Desenvolvimento Imobiliário, Marcos Túlio Campos, a bola da vez para 2024 são os produtos econômicos, principalmente no que tange crescimento de lançamentos e venda. Já em relação ao médio e alto padrão, a tendência também é de crescimento, mas ritmo um pouco menos acelerado. Além disso, o executivo reitera que, em todas as praças, é perceptível que o cliente está disposto a investir em produtos com alta usabilidade. “A experiência dentro do empreendimento – como mercadinhos na área comum, automação, localização, conforto, contam muito”, diz. Segundo pesquisa divulgada pela Associação das Empresas do Mercado Imobiliário de Goiás (Ademi-GO), referente ao mercado de Goiânia e Aparecida de Goiânia, até o fechamento do terceiro trimestre de 2023, foram lançadas 7.046 unidades e vendidas 6.847, ou seja, o número de unidades comercializadas ficou muito próximo do número de lançamentos.

“Isso sinaliza que o mercado está muito aquecido. A tendência é que continue dessa forma, muito embasado na redução da taxa Selic, que vai reduzir a taxa de juros dos financiamentos imobiliários. Um segmento que tem perspectivas de crescimento é da faixa que contempla o Minha Casa Minha Vida, que deve ser uma boa surpresa, muito em razão do aumento no teto do programa. E isso impactará no aquecimento do mercado, afinal existe uma grande demanda represada. Em relação aos empreendimentos, Goiânia vem sendo referência nacional na questão de desenvolvimento de produtos e tende a seguir esse caminho, trazendo inovações, novas técnicas e conceitos diferenciados. E esse é um forte fator para a valorização de imóveis na capital”, afirma Felipe Melazzo, presidente da Ademi-GO.

Agenda verde e gentileza urbana

A agenda verde é um tópico imprescindível no segmento imobiliário, com as incorporadoras cada vez mais cientes dos cuidados necessários sobre o seu impacto no meio ambiente e, assim, adotando práticas ESG (Ambiental, Social e Governança). Trata-se de diretrizes para avaliar se uma empresa é socialmente consciente, sustentável e corretamente gerenciada. No último ano, a CMO Construtora passou por uma consultoria do Centro de Tecnologia de Edificações (CTE) e desenvolveu o Compromisso ESG, um guia para nortear suas atividades nesses aspectos. “Através dele podemos direcionar todos os nossos lançamentos para 2024. Exemplo disso são as vagas verdes nos novos empreendimentos, áreas verdes nas áreas comuns, horta comunitária, entre outros itens”, explica Marcelo Moreira, diretor comercial da CMO.

Nesse mesmo sentido, outra tendência que veio para ficar é a dos empreendimentos associados a iniciativas de gentileza urbana, ações pensadas para as pessoas e desenvolvidas para melhorar o ambiente urbano, beneficiando a convivência entre a comunidade local e a população de maneira geral. “O novo lançamento da CMO no Parque Amazônia, previsto para o primeiro semestre, terá um pomar externo com árvores frutíferas das quais toda a população poderá se beneficiar. Outro lançamento, esse no Setor Nova Suíça, contará com a construção de uma praça com espaço para as crianças e pets brincarem à vontade e atividades artísticas gratuitas”, acrescenta Marcelo.

Os recursos tecnológicos seguem como requisitos prioritários. “Observamos cada vez mais a necessidade de empreendimentos com gerador entregue para abastecer áreas comuns e elevadores, facilitando o cotidiano dos moradores e contribuindo com situações eventuais. Os últimos anos fizeram as pessoas reaprenderem a utilizar os espaços e os empreendimentos precisaram se atentar a essa nova dinâmica para atender as demandas atuais. O que tem acontecido é um processo de amadurecimento de espaços dentro dos imóveis”, enfatiza o executivo.

Customização e automação

Camila Inácio, arquiteta e diretora de empreendimentos da Consciente Construtora e Incorporadora, aponta que as tendências na construção civil para 2024, principalmente no mercado de alto padrão, estão ganhando destaque. Ela enfatiza a importância da customização, que se tornou um diferencial significativo ao oferecer qualidade, design e um serviço que excede as expectativas dos clientes. "A customização atende a um nível mais elevado de exigência, trazendo soluções personalizadas para cada cliente", explica.

Ela também ressalta o papel vital da tecnologia na melhoria da experiência do cliente no setor da construção civil. "Nossa empresa utiliza decorações de alta qualidade e realismo, em ambientes tanto físicos quanto digitais, para criar experiências imersivas e sensoriais", diz. Como exemplo, ela menciona o decorado do Auro Consciente, que inclui uma automação de cenários como a abertura de cortinas e a ativação de uma cascata na piscina, criando uma atmosfera acolhedora. Além disso, inovações como o uso da Inteligência Artificial (IA) tem acelerado as operações no setor, facilitando a busca de informações imobiliárias, oferecendo recomendações personalizadas de imóveis e automatizando processos de locação e vendas.

Decoração

Quando o assunto é decoração, as tendências deste novo ano chegam como resposta para uma busca por leveza e a maior satisfação pessoal, um lar que seja refúgio frente à agitação do dia a dia. A arquiteta Lia Galera, da Brasal Incorporações, comenta que não é à toa que a Pantone divulgou a Peach Fuzz como a cor do ano. Um tom de pêssego suave e aveludado que transita entre o rosa e o laranja. “Aconchegante, ela consegue refletir exatamente o desejo das pessoas por saúde e bem-estar”, comenta Lia.

Seja nos móveis, acessórios ou revestimentos, a preocupação com a sustentabilidade continuará presente nos projetos, assim como elementos com organicidade, atemporalidade e de uma arquitetura que privilegie a iluminação e ventilação naturais. Lia explica também que a ânsia por se encontrar em cada ambiente leva as pessoas a buscar uma decoração que possa exprimir sua personalidade. Seja na utilização de diferentes revestimentos em paredes ou na aquisição de elementos com um viés cultural, que de fato contam histórias.

Quiet Luxury

Murilo Andrade, CEO da Sousa Andrade Construtora, diz que há uma grande tendência chamada quiet luxury, que se traduz em “luxo silencioso”. “São peças de moda, automóveis, design, imóveis que têm alta qualidade e sofisticação, feitas para serem passadas por gerações, mas sem marcas expostas”, reitera. São, portanto, produtos com seu próprio código, exclusivos, que somente quem tem acesso reconhece. Tudo é customizado e feito para durar, mas com discrição, sem grandes ostentações. “Isso não quer dizer que os excessos vão deixar de aparecer, porém, vemos esse movimento do quiet luxury como algo que o comprador do mercado imobiliário tem aderido – ele valoriza a personalização e tudo que aquilo que faz sentido com a sua própria história de vida”, finaliza.

Postar um comentário

Postagem Anterior Próxima Postagem
GDF