Projeto Amor Cantado, do IMED, leva humanidade e solidariedade para pacientes internados e isolados pela doença

Paciente do Hospital Regional de Luziânia durante live do Amor Cantado - Foto: Divulgação

O isolamento social não faz bem a ninguém, imagine para as pessoas que estão enfrentando, sem o apoio da família, o coronavírus dentro dos hospitais. Uma iniciativa do Instituto de Medicina, Estudos e Desenvolvimento – IMED, Organização Social que administra hospitais em Goiás, levou música de qualidade para os pacientes internados e diagnosticados com a Covid-19. A ação desenvolvida pelo Instituto visa a humanização dos hospitais e dos atendimentos oferecidos à população.

O projeto Amor Cantado – Acolhimento Musical aconteceu simultaneamente no Hospital de Urgências de Trindade (Hutrin) e no Hospital Regional de Luziânia (HRL) na tarde desta quarta-feira, 5. A iniciativa foi transmitida por meio de uma “live” exibida na TV IMED (https://www.youtube.com/channel/UCy3VN3tclg9U_4EL5Zs4ydg), que pôde ser acompanhada pelos pacientes nas TVs dos quartos, pelos parentes dos internados através de celular ou Smart TV e pelos funcionários dos hospitais na recepção.

Paciente do Hospital de Urgências de Trindade (Hutrin) durante transmissão ao vivo - Foto: Divulgação

“O objetivo da iniciativa é levar leveza, distração e saúde humanizada aos nossos pacientes e o projeto também ajuda os nossos profissionais nesse período atípico em que estamos vivendo”, diz Getro de Oliveira Pádua, diretor do Imed.

A paciente Regina Alves, 62 anos, internada no Hospital Regional de Luziânia há 4 dias, ficou muito emocionada com o projeto e agradeceu a iniciativa do Imed. “Foi maravilhoso, ele trouxe muita alegria ao meu coração. Continuem cantando o amor, pois só através do amor vamos vencer a Covid e as lutas e as dificuldades do país”, declarou.

O poder da música

Quem comandou a “live” do Amor Cantado foi Hercílio Ramos Júnior, engenheiro formado pelo Mackenzie que há 15 anos dedica parte de seu tempo realizando ações e projetos sociais. Desde o início da pandemia ele coordena o projeto Canta para mim, destinado, principalmente, às casas de repouso. Através de suas redes sociais, ele se disponibiliza a cantar as músicas escolhidas pela audiência para que as pessoas se sintam acolhidas durante o período de isolamento social. “A música traz vitalidade, conforto e bem-estar. É muitíssimo importante sairmos da rotina. O equilíbrio é fundamental. A descontração é um alívio para o corpo e para a mente e um fator importante para a recuperação de energia”, explica Ramos.

Hercílio Ramos Júnior durante a live do projeto Amor Cantado - Foto: Divulgação

Ele também ressalta a importância do projeto para todos os colaboradores das unidades de saúde. “Não podemos esquecer que por trás dessas pessoas, sejam elas médicos, enfermeiros, gestores ou auxiliares, existem seres humanos que estão se dedicando integralmente ao próximo. Lembrar delas é uma atitude inestimável”, finaliza.

Sobre o HUTRIN

O HUTRIN (Hospital Estadual de Urgências de Trindade Walda Ferreira dos Santos) é uma unidade de assistência, ensino e pesquisa, que integra a Rede Estadual de Hospitais de Urgências e Emergências do Estado de Goiás (Rede HUGO). O Hospital tem 48 leitos, sendo seis de UTI, perfil assistencial voltado para baixa e média complexidade em clínica obstétrica, clínica cirúrgica e clínica médica e clínica ortopédica sendo referência para Trindade, onde está localizado, e as cidades vizinhas.

Desde o dia 25 de agosto de 2019, o HUTRIN encontra-se sob a gestão do Instituto de Medicina, Estudos e Desenvolvimento – IMED, uma Organização Social (OS) que se destaca pela prestação de serviços e desenvolvimento de projetos que proporcionem bem-estar, saúde, cidadania e dignidade às pessoas. O IMED administra o HUTRIN para que ele funcione com qualidade 24 horas por dia, todos os dias da semana.

Sobre HRL

O Hospital Regional de Luziânia (HRL) começou a receber os primeiros pacientes com sintomas de Covid-19 no dia 20 de maio de 2020. Vieram transferidos pela central estadual de regulação de vagas do Estado de Goiás. Os leitos são ocupados gradualmente, a partir da avaliação diária e conjunta da direção com a Secretaria Estadual de Saúde.

Estadualizado, após passar oito anos em obras, o HRL foi o primeiro hospital do entorno do Distrito Federal dedicado a tratar pacientes com sintomas respiratórios agudos causados pelo novo coronavírus. Cerca de 1,2 milhão de pessoas, que moram na região, são beneficiadas pelo Hospital Regional de Luziânia.